Enoturismo: do Alentejo ao Douro

Além dos Estados Unidos, como já referido noutros artigos deste “website”, também do Reino Unido chegam encómios à qualidade dos vinhos portugueses e das nossas regiões vinícolas enquanto destinos enoturísticos. O “Inde

SONY DSC

pendent” publicou um artigo, em setembro de 2015, onde elenca alguns dos melhores estabelecimentos hoteleiros, no Douro e no Alentejo – duas das regiões que têm conseguido maior atenção junto da imprensa especializada internacional. Naturalmente, para os enófilos portugueses, estas são opções a ter em conta no momento de escolher o destino para umas férias ou um “break” degustando vinhos.

Six Senses, Lamego

Este “resort” de 5 estrelas permite-lhe pernoitar em suites do tipo “villa”, situadas entre os vinhedos, afastadas da quinta e com piscina exclusiva.

Casa das Pipas, Sabrosa

Tem 12 quartos, cada um com o nome de uma casta de uvas. Os visitantes podem escolher entre a piscina exterior, a biblioteca ou até ajudar a vindimar.

Vila Galé Douro, Lamego

O grupo hoteleiro Vila Galé procura, estrategicamente, garantir uma presença em todos os melhores “hotspots” turísticos. Todos os 38 quartos da sua unidade têm vista para o rio Douro, estando o edifício naturalmente rodeado por vinhedos.

L’And Vineyards Resort, Montemor-o-Novo

O L’And Vineyards é um dos mais aclamados “resorts”, pela sua originalidade e pela mistura entre o clássico e o contemporâneo. Os visitantes podem escolher 10 suites “sky-view”, com uma claraboia gigante, que lhes permite dormir sob o céu estrelado. Durante o dia, é possível mergulhar na piscina, entre duas provas de vinho.

Herdade dos Grous, Albernoa (Beja)

Não só pode ficar hospedado numa das produtoras dos melhores vinhos do Alentejo, como poderá igualmente passear a cavalo ou até num balão de ar quente, isto além das provas vínicas, claro.

Quinta Nova, Covas do Douro

Também aqui, tal como no Vila Galé, todos os 11 quartos têm vista para o Douro. As suas “winery house” e “winery restaurant” já receberam avaliações positivas no “Finantial Times.”

Leave a Reply