Évora, Capital do Alentejo

Portugal é um destino turístico por excelência e não é só Algarve, Lisboa e o Porto que atraem os visitantes. Cada vez mais, os turistas procuram os destinos menos conhecidos, e o interior de Portugal tem sido alvo de maior procura.
O Alentejo, incluindo a sua capital, Évora, não são exceção e vão recebendo atenção internacional, conforme o demonstra um artigo da Globo, cuja autora em apenas uma página exalta as maravilhas de de Évora e o seu encanto pela cidade.

Apesar de o Alentejo ter sido durante séculos um território dominado pelos Mouros e se refiram com frequência as influências e monumentos antes deixados pelos Romanos, a cidade deve o seu nome aos Celtas. A palavra ”Évora” tem origem em ”eburos”, que queria dizer ”teixo” – um tipo de árvore que abundaria na região. Desde logo se vê que o que Évora tem para oferecer ao visitante é uma riqueza de património cultural e histórico que remontam a milhares de anos atrás.

ÉvoraHoje em dia, Évora apresenta-se como uma bem preservada cidade medieval, com as suas ruas estreitas e muralhas, datadas do século XIV. Deambulando por entre casas antigas e ruelas, o visitante é acolhido por magníficas obras, como a catedral e os claustros medievais, o templo e as termas romanas.
Estas últimas, descobertas de forma surpreendente em 1987, durante escavações junto à Câmara Municipal, terão sido construídas entre os séculos II e III e refletem não só a presença romana, como também o nível de vida que haveria à época, pois eram termas públicas, abertas a todos os cidadãos livres.

Mas desengane-se quem pensar que Évora é uma adormecida cidade antiga. A universidade traz-lhe vida e animação e o visitante é presenteado com uma grande oferta de restaurantes, que lhe dão a provar todas as iguarias que o Alentejo tem para oferecer.