Roteiro Gastronómico pelo Alentejo

O Alentejo é um destino turístico para quem gosta de vinhos, pratica desporto, aprecia alguns dias de indolência campestre, pretende saber mais sobre o mundo agrícola ou tem curiosidade sobre a história da região, de Portugal e de como os nossos antepassados viviam. É também, e talvez acima de tudo, um destino gastronómico. Não se fique pela carne de porco à alentejana, já que a gastronomia da região é riquíssima, herdando as tradições mediterrânicas (associadas ao clima), islâmicas (dos povos que aqui viveram durante séculos e trouxeram costumes e produtos do Norte de África e do Médio Oriente) e dos tempos de escassez, em que era necessário reciclar e aproveitar o pouco que a terra dava.

A Entidade Regional de Turismo do Alentejo lançou recentemente o Guia de Restaurantes Certificados da região, onde cabem 84 estabelecimentos. Veja alguns dos seus integrantes:

Norte Alentejano

  • O Chaparro (Alpalhão, Nisa)
  • Olivença (Ponte de Sôr)
  • TombaLobos (Portalegre)
  • Restaurante da Pousada de Marvão
  • Restaurante da Pousada Mosteiro do Crato

Alentejlandscape-899596_960_720o Central

  • A Romeirinha (Viana do Alentejo)
  • Restaurante Café Alentejo (Évora)
  • Taberna Al Andaluz (Reguengos de Monsaraz)
  • Gadanha Mercearia (Estremoz)
  • Solar dos Lilases (Mora)

Alentejo Litoral

  • Arte e Sal (praia de Morgavel, S. Torpes, Sines)
  • O Josué (Longueira, Almograve)
  • Restaurante da Pousada do Castelo (Alcácer do Sal)
  • O Tarro (Odemira)
  • Dona Bia (Torre, Comporta)

Baixo Alentejo

  • A Cavalariça (Entradas, Castro Verde)
  • O Brasileiro (Mértola)
  • O País das Uvas (Vila de Frades, Vidigueira)
  • Restaurante da Pousada do Castelo (Alvito)
  • O Encalho (Amareleja)

Outros 64 estabelecimentos não couberam nesta lista, que não procura, porém, ser extensiva. Importa, sim, demonstrar que em cada canto do Alentejo existe um restaurante certificado, que cumpriu os requisitos exigidos pela Entidade Regional de Turismo. Destacam-se os estabelecimentos situados fora dos grandes centros urbanos, nomeadamente em aldeias e freguesias, como Amareleja, Entradas ou Alpalhão, mostrando que a qualidade não é sinónimo de urbanidade, mas sim de atenção aos detalhes, de profissionalismo e respeito pela cultura e pela tradição. Quem demandar as praias do litoral alentejano lá encontrará igualmente restaurantes de excelência.

Leave a Reply